segunda-feira, 9 de março de 2009

Dia da mulher... Ahã.

*Li no blog da DEH (Reload, link ao lado porque a lesa aqui não sabe botar o link aqui messss) e achei bárbaro. Leia até o final:
http://pixelporpixel.wordpress.com/2009/03/04/hello-world/
Texto MARA sobre... dia da mulher!

*Daí que na sexta feira fomos eu e Gomes fazer compras no Makro. Ele está hiperventilando com esses mercados atacadistas. Nos dois últimos meses compramos no Tenda, o que foi uma delícia. Mas o Makro é único.

Bom, mercado enorme, grande variedade (só de fraldas num tava legal; só tinha Pampers, T. da Mônica e Looney Tunes, e não tinha tam. RN), mas o que impressiona mesmo é que muitas coisas só se vendem em quantidade, assim ó: feijão só vende em pacote com 5; molho de tomate, com 3 ou 6 e coisas do tipo.

Comprei: creme de leite com 6 caixinhas; suco tipo maguary com 3 garrafas; catchup e mostarda, 1 litro de cada (hehehe); biscoito waffer com 3; fardo de mini-refri com 12(pro lanchinho dos mininutudim), guaraná natural 5 litros (adooooourooo!!), polpa de tomate, 1 litro. Me senti gente grande, de verdade. Sacomé, gastar quinhentinhos com comida em grandes quantidades pra grande família? Ah, delícia! E botar tudo no big porta-mala do carrim? Cresci.


*Falando em se sentir gente grande, ontem vi no Universal Channel o filme "De Repente 30", pela terceira vez:

Delícia de filme. A menina de 13 anos acorda um belo dia com 30. Daí imagina o que dá. Enfim, tava vendo o filme com o Gomes e, tem uma parte que a moça pede pro mocinho (paixão de infância) que compre uma bala que eles comiam quado tinham 13 anos. Falei com Gomes que isso parece uma coisa que aconteceu comigo: quando eu era adolescente tinha uma bala que vendia e que eu amava, era a Sparkies, essa:

E eu achei essa bala uns tempos atrás no Extra e no Carrefour, num pacote beeeem menor, mas a mesma bala. E a Mentos fez uma igualzinha, essa:

(Que, crusives, comprei no Makro uma caixa fechada com 12 caixinhas, uhuuuu, missigura!)
Isso é uma coisa.

A outra é a música da Pat Benatar, que já comentei por aqui, "Love Is a Battlefield", que é a música da moça do filme; dos seus 13 anos, e que eu gosto muito.

Daí que eu vejo as músicas que estão no meu celular e, menina (o), não são as mesmas que eu ouvia há uns bons 15 anos?

Gomes me lança essa: "Bia, você é uma adolescente com 4 filhos!"

Pessoas crescidas, me digam: vocês se sentem ADULTAS?

Assim, quando eu era menor, pensava que ser adulta seria diferente do que é hoje. Sei lá, não sei explicar direito; mas acho que seria uma coisa mais séria, entende?

Hoje, com 31 anos, sinto que sou uma... adolescente com 4 filhos!!! O que muda? Ora, tenho responsabilidades, claro, mas não é tão difícil, sério, sisudo como eu pensava; mudado. Pensei que deixaria todas as "bobagens de criança" pra trás e seria outra pessoa. Magina, ném.

Ainda sonho, e muito. Muita coisa ainda está por definir, resolver (pensei que sendo adulta tudo estaria definido, como um plano). Mudo de tempos em tempos, mas a essência é a mesma. Tenho uma casa, um carro, uma marido, 4 filhos (oi?, não me canso de dizer; será que é pra me convencer?), sou formada e não me sinto ADULTA, como pensei que me sentiria quando fosse adulta de fato. Pensei que seria tudo certinho, planejadinho, sem sustos nem grandes emoções.

Tenho momentos de fraqueza, de dúvida, de tristeza, de bobeira etc, como um adolescente. E também tenho MUITOS momentos de alegria, de gargalhada, de satisfação, de plenitude; também como se fosse adolescente.

Graças a Deus que a vida de gente grande é mais fácil do que eu pensei. E olha, no final das contas, como sou FELIZ!!!!!


*Baixei "Into the night", do Benny Mardones. É essa:


E quero a "Time (Clock of the heart)" do Boy George; alguém sabe onde tem? É essa:


Agora pensa, só os anos 80 pra produzirem isso né? Sublime!!!

7 comentários:

Paula Clarice disse...

Bia, quase todo mundo que eu conheço tem essa sensação do ué, era assim crescer então? , eu inclusive. Será que nos contaram errado ou a gente que era pequeno e não via que adulto também tinha insergurança? Porque eu acho que é bem como vc disse, a gente pensa que qdo for 'grande' vai ter a vida inteira planejada, depois cresce e não sabe pra onde correr rsrs

Roberta Beatriz disse...

Oi queridona!

To com saudades de você e desse seu super astral pra escrever, quem dera eu tivesse tempo pra blog, então qudo sobra um tempinho vneho aqui visitar o seu!

Olha só pra comentar a única diferença de ser "gente grande" é esse monte de contas pra pagar e esse monte de sapos pra engolir.. sentimentalmente estou mais adolescente que nunca, com altos e baixos, ilusões, paixões, decepções e muito festa, porque também a gente precisa curtir!! hehehe

beijo grandeee Prima, saudades mil!

Ro.

Bia, Desperate Housewife disse...

Paula, eu acho q é a segunda opção; qdo a gente era mini gente não via q adulto tb tinha inseguranças... Há um tempo tava conversando com uma amiga e ela disse isso mesmo.

Roberta Beatriz, minha prima de nome lindo (oi?), saudades de vc tb, nem me fale em contas viu, q hj chegou a fatura do cartão e eu nem tive coragem de abrir a dita ainda, hohoho.
Façafor de qdo meu filho nascer dar um passada em casa tá?????

Ana disse...

Yessssssssss!!
Também me sinto exatamente assim!!
Ai!!!!!!!!!!!!!
Adoro quando alguém traduz, bota no papel tudo o que eu queria dizer e não soube como!
Bia, tu é show!!!!!!!

Eu até tentei... Aqui, num post de 2006:
http://roccana2.blogspot.com/2006/02/adolescncia-da-terceira-idade.html

Me diz se não é a mesmíssima conclusão!! Heheheh!

Ana disse...

Vou fazer outra tentativa de por o link:

Adolescência da Terceira Idade

Se não der certo, antecipadamente peço desculpas!!

Bia, Desperate Housewife disse...

Ana, é bem por aí mesmo!!! Q coisa né???
Daí q isso é bom pq deixo de achar q as pessoas têm q ter certos comportamentos, fazer certas coisas etc; pq se eu sou uma instabilidade, pq os outros tb não o são???
Um big beijo!

Roberta Beatriz disse...

Oi lindezaaa!

Certeza que eu vou viu?!

Beijo no coraçã!